O corpo fala


O nosso corpo fala. Nem sempre são necessárias palavras para que digamos aos que nos cercam como nos sentimentos referente a determinada situação, assunto ou até mesmo como é nosso posicionamento frente a algumas pessoas. Nosso corpo tem uma função muito importante nesse sentido e pode ser crucial entendermos a linguagem corporal das pessoas para melhorar nosso convívio social. Às vezes as pessoas precisam de ajuda e não conseguem pedir, ou querem compartilhar uma alegria, mas não sabem como falar. Esteja atento aos sinais.  

O homem, desde os tempos primitivos vive em sociedade. Ele precisou desenvolver maneiras de se comunicar para que os grupos em que vivia pudessem sobreviver e evoluir. Engana-se quem pensa que a linguagem falada é a mais primitiva do mundo. Em uma época ancestral, a linguagem corporal era a mais utilizada. Entendiam-se através de uma interlocução não-verbal, por gestos, posturas, trejeitos e movimentos faciais. Já naquela época era possível perceber, por exemplo, qual indivíduo possuía a liderança na formação da comunidade por conta da postura que adotava. A linguagem corporal é uma maneira involuntária do nosso corpo de se manifestar. 

Se você for um noveleiro de plantão é muito provável que tenha acompanhado a novela “Amor de Mãe”. Dentre tantos atores renomados e experientes, um ator da nova geração, chamou atenção. Humberto Carrão começou a sua carreira na 11ª temporada de Malhação e desde lá já mostrava talento e desenvoltura, mas nessa novela tem dado um show de interpretação e isso decorre da habilidade de utilizar a linguagem corporal para compor o seu personagem. Na novela ele interpreta Sandro, um ex-presidiário que foi criado por uma mãe adotiva traficante de bebês. A única coisa que ela havia lhe ensinado nessa vida, era a cometer delitos. Quando estava na cadeia ele descobriu que poderia ser o filho desaparecido de Lurdes (Regina Casé). Ela lhe tirou da cadeia, ensinou o significado de amor e foi aí que o show começou. Sandro olha para todos de baixo para cima, mostrando inferioridade tanto pela questão da classe social, quanto por achar que é uma pessoa que não merece um futuro melhor por conta do seu passado, tem dificuldade em olhar as pessoas nos olhos pela vergonha que sente por tudo que fez, ele não sorri e quando sorri é tímido e não mostra os dentes, pois nunca teve muitas alegrias e não considera merecer nenhum tipo de felicidade, ele está sempre com os ombros retraídos em sinal de alerta e visivelmente não gosta muito de ser tocado. A interpretação do Humberto nos faz constatar o quanto é importante analisarmos a linguagem corporal de quem nos rodeia. Quando temos essa compreensão sobre o outro, evitamos gafes relacionadas ao sentimentos e bem-estar dos outros, melhorando o nosso convívio social. 

Se bem observada, a expressão corporal pode dizer muito sobre a personalidade e humor das pessoas. Ela pode comunicar muito mais do que as palavras. Por exemplo: quando estamos com os ombros contraídos mostramos insegurança e fragilidade frente aquela pessoa ou situação; ao cruzarmos os braços indicamos que estamos descontentes ou irritados com uma situação e mostra que nos colocamos na defensiva; inclinar a cabeça na direção de quem está falando demonstra que estamos interessados no assunto e abertos para o diálogo e troca de ideias/experiências; assim como virar o rosto para o lado oposto transparece indiferença ao que está sendo dito. Até a forma como você se senta quer dizer algo: se você se senta jogado em uma cadeira e fica posicionado de forma desleixada, passa uma mensagem desrespeitosa e de pouco caso com quem está falando. 

A linguagem corporal é importante porque está justamente ligada a oferecer uma leitura para as mensagens que o corpo passa, podendo tornar a comunicação mais completa, assertiva e fluida. Dessa forma podemos melhorar nosso relacionamento com familiares, colegas de trabalho, amigos e sociedade em geral. 

Através da linguagem corporal compreendemos com maior facilidade até mesmo nossas próprias emoções e conseguimos melhorar nosso comportamento e comunicação adequando-os frente a todo tipo de situação. Podemos alinhar nossa fala com nossa postura, trejeitos e movimentos faciais,  aprimorando assim as nossas relações e interações pessoais, deixando claro como nos sentimos em cada situação. Ao termos acesso a todas as formas de comunicação e quando aprendemos a controlá-las desenvolvemos a nossa autoconfiança frente a pessoas e situações que antes eram intimidadoras. 

Você já se perguntou quantas mensagens deixou de compreendender por não estar atento à linguagem corporal das pessoas? Por exemplo: dependendo da forma como posicionamos nosso corpo com relação ao outro, o diálogo pode se desenvolver ou não, ou seja, quando você está na balada paquerando alguém e engata uma conversa e a pessoa direciona o corpo ou os pés para as saídas, ela não está afim de você. Se um colega de trabalho se posiciona para falar contigo de uma forma que ele esteja elevado, isso indica que ele acredita ser superior a você dentro da organização. Quando sua mãe sai contigo e você faz algo vergonhoso e ela abaixa a cabeça, isso significa desaprovação e vergonha. Se você leva a sua namorada a um parque para passear e acabam discutindo e ela cruza os braços isso é um sinal claro de descontentamento.

Para desenvolver nossas habilidades relacionadas à linguagem corporal podemos fazer algumas atividades. O teatro e a dança são excelentes saídas para quem quer aprender a se expressar e se comunicar através do próprio corpo e externalisar suas emoções e sentimentos, principalmente os mais doloridos e difíceis. Já para quem quer dominar a linguagem corporal para ter resultados positivos no seu convívio com as pessoas e melhor desenvoltura no trabalho ou em outras atividades que realiza, a Programação Neurolínguística pode ajudar, afinal o PNL é um processo educacional sobre como utilizar melhor o seu cérebro para alcançar resultados em qualquer campo que tenha interesse, obtendo uma resposta positiva. Para isso são utilizadas técnicas que ensinam a maneira de se comportar, reagir, portar-se ou proceder em relação ao que ocorre ao se redor, quem domina essa técnica consegue intervir com mais facilidade sobre a sua linguagem corporal. 

Os gestos e linguagem corporal estão ligados intimamente à cultura de um país. Os italianos são exemplo pela forma de gesticular exageradamente quando falam, principalmente quando estão discutindo, o que pode ser considerada uma atitude grosseira em outros países. Da mesma forma que no Brasil é um gesto de afeto e carinho afagar os cabelos de uma criança e em alguns países significa que você está a amaldiçoando. No Brasil e em outros países o sinal de “positivo”, aquele com o punho fechado e apenas o polegar levantado, significa uma situação afirmativa, algo que deu certo, porém na Itália é uma obscenidade. 

Podemos constatar que a linguagem corporal é uma excelente ferramenta para melhorar nossa compreensão sobre a forma com que nos expressamos e comunicamos e como entendemos as pessoas que vivem a nossa volta. Ficar atentos a sinais corporais pode fazer com que você ajude uma pessoa que está passando por um momento delicado ou até te livrar de pagar um grande mico ou fazer uma afronta a alguém. Essa linguagem é uma grande aliada no nosso desenvolvimento e evolução dentro dos lugares que frequentamos. Então é hora de nos aprofundarmos nela e não a deixarmos restrita apenas a jogos de mímica.


Matérias Relacionadas
COMENTÁRIOS